Article of International Journal of Parasitic Diseases 

OCORRÊNCIA DE PARASITAS INTESTINAIS EM CRIANÇAS DE CRECHES PÚBLICAS DE MACEIÓ-AL

Maciel D.M1; Pereira R.C2; Alencar M.B3; Almeida D.H4; I.G.A. Santos5; Santos Jr. J.A6
1,2Estudantes do Curso de Ciências Biológicas Licenciatura, Centro Universitário (CESMAC) 3Estudante do Curso de Ciências Biológicas Licenciatura da Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL). 4,6Docentes/Pesquisador do Departamento de Biologia do Centro Universitário (CESMAC). 5Docente/Pesquisador do Departamento de Biologia da Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL)

Abstract:
As parasitoses estão entre as doenças mais discutidas nos países subdesenvolvidos e acometem principalmente crianças em fase escolar. Tais doenças refletem as precárias condições sanitárias de uma região ou população. As infecções ocorrem devido à ausência de hábitos de higiene adequados, a falta de saneamento básico e/ou água tratada. Essas enteroparasitoses podem afetar o equilíbrio nutricional e também causar complicações significativas, contribuindo para o baixo rendimento escolar. Diante deste contexto, o trabalho objetivou verificar a ocorrência de parasitoses intestinais em crianças na faixa etária de um a seis anos de idade, no município de Maceió, estado de Alagoas. As amostras foram coletadas em duas creches municipais, ambas localizadas na área urbana. A coleta das amostras aconteceu nos meses de julho e outubro do ano de 2015 e em seguida, foram encaminhas para a Universidade Estadual de Alagoas. As amostras foram analisadas pela técnica de Sedimentação Espontânea. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética do CESMAC com o número de protocolo 939.035. O presente trabalho encontrou uma frequência de diferentes parasitoses intestinais nas 37 crianças de um a seis anos estudadas. Das 37 crianças do estudo, 20 (54,05 %) apresentaram ausência de parasita e 15 (40,54 %) apresentaram algum tipo de parasitose intestinal. Das quinze crianças positivas, quatro delas apresentaram biparasitismo e uma apresentou resultado positivo para três tipos de parasitoses. Os parasitas mais frequentes foram: Entamoeba coli (13,5 %), Endolimax nana (13,5 %), Ascaris lumbricoides (10,8 %), Entamoeba histolytica/ E. dispar (10,8 %), Giardia lamblia (8,1 %) e Hymenolepis nana (2,7 %). As parasitoses intestinais continuam sendo um grave problema de saúde pública e geralmente não são trabalhadas de maneira ativa pelo poder público e pela sociedade de um modo geral, permitindo a infecção e disseminação de tais parasitas.

Keywords:
Creche; Crianças; Frequência; Parasitoses

Click to download Free PDF