Article of International Journal of Biological and Life Sciences 

CONHECIMENTO DOS PORTADORES DA DOENÇA DE CHAGAS SOBRE SUA CONDIÇÃO

Silva, J.M¹; Nascimento, M.T.Q²; Silva, J.M3; Silva, M.S4; Souza, M.E.B5; Silva, M.B6
¹Enfermeira - Hospital da Restauração, Recife-PE, E-mail: jocelinhajc@gmail.com. ²Enfermeira – Graduada pela Faculdade de Enfermagem N. Srª das Graças (FENSG), Universidade de Pernambuco (UPE), Recife-PE. ³Enfermeira, estudante de Pós-Graduação – Faculdade Redentor - Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE), Recife-PE Estudante do Curso de Enfermagem – Faculdade de Enfermagem N. Srª das Graças (FENSG), Universidade de Pernambuco (UPE), Recife, Brasil. Enfermeira – Graduada pela Faculdade de Enfermagem N. Srª das Graças (FENSG), Universidade de Pernambuco (UPE), Recife-PE. 6Docente do Curso de Enfermagem, Universidade de Pernambuco (UPE), Recife-PE.

Abstract:
Embora descoberta há mais de um século, a doença de Chagas continua sendo um problema de saúde pública a ser enfrentada. Atualmente, estima-se que existam cerca de 2 a 3 milhões de indivíduos infectados no Brasil. Sendo assim, esta enfermidade entrou para a lista das doenças negligenciadas. Esta patologia afetar predominantemente grupos de indivíduos mais pobres e vulneráveis, evidenciando uma realidade preocupante frente às necessidades das populações mais carentes. Identificar o conhecimento dos portadores de doença de Chagas a respeito da sua condição e as principais patologias associadas. Trata-se de um estudo descritivo, através de uma abordagem quantitativa, onde foi utilizado um questionário estruturado, sendo as principais variáveis: sexo, forma atual da doença e patologia associada. A pesquisa foi desenvolvida no ambulatório de doença de Chagas e Insuficiência cardíaca de Pernambuco, situado no Pronto-Socorro Cardiológico Universitário de Pernambuco (PROCAPE/UPE), realizada no período de junho a agosto de 2014. A amostra foi composta por 73 pacientes, tendo como critério de seleção ser portador da doença de Chagas, maior de 18 anos e cadastrado no serviço. Os de exclusão foram àqueles com outros diagnósticos e menores de 18 anos. A maior prevalência foi o sexo feminino 43 (59 %) e masculino 30 (41 %). As principais patologias associadas foram Hipertensão Arterial Sistêmica 41 (51%), Diabetes mellitus 11 (15 %). Negaram outra patologia 22 (30 %). Em relação à forma atual da doença, 21 pacientes possuem a forma cardíaca (28 %), 7 a cardiodigestiva (9 %), 1 a digestiva (1,36 %) e 44 pacientes não souberam informar (60 %). A maioria dos portadores possui Hipertensão Arterial Sistólica, essa associação pode levar ao aumento da morbimortalidade e piorar a qualidade de vida. Além disso, o não conhecimento sobre a doença não é só um problema de saúde pública, mas também sociopolítico. Assim, é fundamental a educação em saúde como estratégia para o paciente ser o protagonista do seu tratamento.

Keywords:
Doença de Chagas; Diabetes; Educação em saúde; Hipertensão

Click to download Free PDF