Article of Global Journal of Public Administration 

SITUAÇÃO SOCIODEMOGRÁFICAS E EPIDEMIOLÓGICA DA HANSENÍASE NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO-PE, NO PERÍODO DE 2005 A 2015

Alves R.S.M.1; Barros J.M.S.1; Silva A.S.2, Santos J. S.2, Oliveira M. J. F.3, Leite A. F. B.2,4
1Especializanda do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva/FIOCRUZ-/CPqAM/Ministério da Saúde; 2Sanitarista da Vigilância Epidemiológica/Secretaria de Saúde de Vitória de Santo Antão, Pernambuco; 3Graduanda em Saúde Coletiva/Centro Acadêmico da Vitória/UFPE; 4Docente/Pesquisador do Núcleo de Nutrição e Saúde Coletiva/Centro Acadêmico da Vitória/UFPE.

Abstract:
A hanseníase é uma doença milenar, infectocontagiosa, crônica, que possui como agente etiológico a Mycobacterium leprae. A transmissão ocorre de maneira direta através da eliminação de bacilos pelas vias aéreas superiores, o que requer um contato íntimo, contínuo e prolongado. O diagnóstico da hanseníase é fundamentalmente clínico/epidemiológico e o tratamento é medicamentoso, realizado a partir da associação de medicações conhecida por Poliquimioterapia (PQT). A doença se apresenta como problema de saúde pública, o que alerta quanto a necessidade de ações mais eficientes e eficazes no combate à doença. Descrever a situação sociodemográficas e epidemiológicas da hanseníase no município de Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Brasil. Estudo transversal, realizado em Vitória de Santo Antão, no período de 2005 a 2015, a base de dados secundária utilizada foi do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) da Vigilância Epidemiológica, da Secretaria Municipal de Saúde do município. Para análise, foram utilizadas as variáveis da ficha de notificação/ investigação de hanseníase, referentes a: sexo, idade, raça/cor, escolaridade, zona de residência, forma clínica, classificação operacional, número de nervos afetados, avaliação de grau de incapacidade, dados laboratoriais e esquema terapêutico inicial. Anuência para análise dos dados e produção das informações foi autorizada pelo órgão de acordo com as normas de segurança administrativas. Foram registradas 394 notificações, sendo 51 % do sexo feminino, 34 % de raça branca, entre a faixa etária dos 20 a 59 anos (66,24 %), houve 33 (8,37 %) notificações em menores de 15 anos. Quanto a escolaridade 56 % dos casos são do ensino fundamental e 83,5 % são residentes da zona urbana. A forma clínica prevalente foi a tuberculóide (32,48 %), com a classe paucibacilar (PB) apresentando-se em 50,5 % dos casos, e 84 % das notificações não possuem nervos afetados no momento do diagnóstico. Quanto ao Grau de incapacidade, 68,78 % manifestam “Grau 0” de comprometimento. Quanto aos dados laboratoriais, não foram realizados baciloscopia durante o período de estudo. O esquema terapêutico inicial mais prevalente foi o de PQT/PB de seis doses utilizada em 51 % dos casos. Percebe-se que o município apresenta os indicadores semelhantes com a situação do estado de Pernambuco, principalmente quando a hanseníase atinge a população economicamente ativa, com baixo nível de escolaridade e apresenta casos em menores de 15 anos, o que mostra a presença de focos de transmissão ativos. É imprescindível destacar os dados referentes a baciloscopia, já que esse exame, segundo estudos, tem adquirido maior importância quando existe casos de persistência bacilar, falha terapêutica e ou tratamento insuficiente. Portanto, é necessário a realização de busca ativa de casos, campanhas de educação em saúde com a população e educação continuada com os profissionais de saúde, a fim de realizar o diagnóstico precoce e a prevenção de incapacidades da doença.

Keywords:
Estudo transversal; Hanseníase; Situação de Saúde

Click to download Free PDF