Open Journal of Aging Research

Open Access Journal
Open Journal of Aging Research (ISSN: 2641-3981) is an open access journal publishing research articles, review articles, editorials and letters to the editor.

Peer-Review Journal
To keep the quality of journal, all submission will be peer-reviewed by invited experts. The decisions will be made according to the comments of reviewers.

Publication Process
Initial decision: 3 days without review, 28 days with review; Time to publication: Accepted articles will be online in 3 days; Final versions after proofreading will be accessible in 8 days.

Rapid Response
Should you have any questions, please let us know. We will answer you shortly.

To compare the quality of life among elderly practitioners and non-practitioners of physical activity

Oliveira J.Q1; Gadelha J.H.T2; Menezes A.C.S3; Sá L.A4; Nascimento G.S5; Andrade J.M6
Physical activity practiced regularly provides health improvements, thus, the practitioner has a longer life expectancy avoiding occurring decline of physiological processes, maintaining an active and healthy lifestyle. To compare the quality of life among elderly practitioners and non-practitioners of physical activity. The study was conducted in the city of Iguatu - CE, with two groups of elderly, a group of 40 elderly women who practiced physical activity and another 40 elderly women who did not practice. It was shown significant differences in the environmental field [t (78) = - 5.57; p <0.01] physical [t (78) = - 7.78; p <0.01] and psychological [t (78) = - 7.03; p <0.01]. Thus, the social sector there was no significant difference. We conclude that the adoption of an active lifestyle and regular practice of physical activity are essential to good health and quality of life for the elderly, as this is linked also with a better functional capacity, mobility.

ESTRATÉGIA PARA CONTROLE E ELIMINAÇÃO DA FILARIOSE LINFÁTICA

Oliveira M.M1; Lima L.B2; Ferreira R.M.M3; Nascimento T.L4; Iglesias D.P.P5
A filariose linfática ou bancroftose é uma doença parasitária causada pelo helminto Wuchereria bancroftique. Sua transmissão ocorre através da picada da fêmea do mosquito Culex quinquefasciatus infectada por larvas do parasito. Clinicamente manifesta-se como dilatações de vasos linfáticos, formação de nódulos granulomatosos e formação de edema linfático. A filariose acomete aproximadamente 112 milhões de pessoas de modo geral em populações com baixas condições socioeconômicas e em áreas de clima tropical e subtropical. Aproximadamente um terço dos infectados residem da Índia e o restante na região ocidental do pacífico e sudeste da Ásia. A América contribui com 0,3 % da incidência mundial, sendo o Haiti o país mais acometido, seguido pela República Dominicana, Guiana e pelo Brasil. No Brasil a distribuição é focal e ocorre na Região Metropolitana do Recife. Devido ao avanço das estratégias de combate, em 1997 a Organização Mundial de Saúde propôs o Plano Global de Eliminação da Filariose Linfática, buscando a eliminação da endemia até 2020, o plano tem como fundamentos principais a interrupção da transmissão e controle da morbidade dos indivíduos. Observar o progresso das estratégias para controle e eliminação da filariose linfática em áreas endêmicas. Realizou-se uma revisão integrativa dos periódicos publicados nas bases de dados SCIELO, LILACS e BDENF e na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), utilizando os descritores “Filariose”, “Eliminação” e “Controle da Saúde” nos idiomas português, inglês e espanhol. Os critérios de inclusão foram artigos completos publicados em português, inglês ou espanhol, que abordasse o tema escolhido, publicados nos últimos 10 anos. Foram localizados 19 artigos dos quais 10 estavam de acordo com a temática e os critérios pré-determinados, portanto esses foram lidos integralmente. Apesar de ser uma doença que poderia ser erradicada através de políticas de saúde efetivas, no Brasil ainda existem registros restritos aos municípios do Recife, Olinda, Paulista e Jaboatão dos Guararapes. Nessas áreas, desde 2011, foi verificada uma redução do número de casos de filariose, devido a recomendação da Organização Mundial da Saúde em realizar tratamento coletivo com Dietilcarbamazina. Enquanto as estratégias para combate da transmissão estão progredindo, o tratamento das sequelas deixadas pela filariose obteve um menor avanço, recebendo menor atenção, sendo necessário que os casos existentes sejam identificados, assim como as necessidades de cada portador. Para isso é preciso investigar o impacto do tratamento, das mudanças das funções sociais e psicológicas, do bem-estar e da doença na vida do indivíduo. Os profissionais de saúde devem estar aptos para realizar o diagnóstico precoce de novos casos, tratamento, controle da cura e atuar diretamente no combate à transmissão da filariose e na reabilitação dos indivíduos. Tais medidas diminuirão a morbidade, reduzirão o impacto causado pela filariose e permitirão a erradicação desta parasitose endêmica.

MEDICAMENTOS FITOTERÁPICOS: UMA NOVA ALTERNATIVA NO TRATAMENTO DAS DOENÇAS NEGLIGENCIADAS

Silva, T.G.¹ Canto, V.B2, Ferreira, A.G3, Barbosa, L.M.S4, Silva, M.G.M.S5, Maia, C.S6
A doença negligenciada principalmente em países tropicais tem como ponto contribuinte para sua persistência a falta de investimentos por parte da indústria farmacêutica. Em contrapartida, emerge mundialmente uma nova perspectiva de tratamento e uso medicinal a base de produtos naturais, como os fitoterápicos. A Organização Mundial da Saúde reconhece e estimula a utilização dessa forma terapêutica ao mesmo tempo em que o País vem tentando implementar ações que visem melhorias na qualidade de vida da população por meio da inclusão desses recursos no SUS, inclusive, por meio de portarias, visto que o país possui altíssima biodiversidade, assim como a diversidade de culturas e conhecimentos tradicionais, que podem ser utilizados no combate às doenças negligenciadas. Objetivo: Avaliar a possibilidade da utilização de tratamentos fitoterápicos em doenças negligenciadas. Realizou-se uma revisão bibliográfica da literatura, na qual foram utilizados artigos da biblioteca virtual SCIELO, da Revista Fitos, e Revista Pesquisa FAPESP. A partir da utilização dos descritores “Doenças negligenciadas” e “Fitoterápicos”, foram selecionados seis artigos para compor o presente trabalho, sendo utilizados como critérios de inclusão os periódicos que foram publicados nos anos de 2004 até 2015 e que relacionavam temas doenças negligenciadas com tratamentos fitoterápicos. Foi observado a partir da análise textual, que do ponto de vista farmacológico, as doenças tropicais são bastante negligenciadas, pois o processamento de novas drogas fica a cargo principalmente das instituições privadas, porém, para essas empresas farmacêuticas multinacionais não é interessante investir tempo e recursos destinados a doenças que acometem majoritariamente países em desenvolvimento, com populações mais pobres. Nesse contexto, uma proposta estratégica poderia ser o investimento em formas alternativas de medicações, como os à base de produtos naturais. No Brasil, há diversos estudos voltados às comunidades do norte do país que se utilizam da medicinatradicional para tratamento da Malária e prevenção de males ou sintomas associados, como problemas hepáticos, febre, e anemias decorrentes desta morbidade. A leishmaniose, doença altamente negligenciada, também tem sido alvo de pesquisas, nas quais já foram observadas atividades antileishmania em seis plantas medicinais, como a Kalanchoe pinnata, que podem servir de base para tratamento eficaz desta morbidade. Os fitoterápicos apresentam ainda vantagens quanto a sua baixa toxicidade, além de custos mais acessíveis quando comparado a produtos sintéticos. Considerando que os fitofármacos apresentam uma alternativa viável para tratamento dessas doenças, pelo seu baixo custo e toxicidade, além de matéria prima disponível em larga escala em nosso país, é interessante o aprofundamento em pesquisas para o desenvolvimento e distribuição das mesmas nos serviços de saúde pública, contribuindo dessa forma, para minimização do negligenciamento dessas doenças, garantindo maior acessibilidade às populações de baixo nível socioeconômico.

DOENÇA DE CHAGAS E SUA INFLUÊNCIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA

Botelho, A.G.S1; Santos, A.M.S2, Freire, D.A3, Brandão, B.M.G.M4, Angelim, R.C.M5, Abrão, F.M.S6
A doença de chagas é uma infecção provocada pelo Trypanosoma Cruzi. Ela é considerada uma doença negligenciada acometendo, principalmente, as populações com baixas condições socioeconômicas. Apresenta-se com uma alta taxa de morbimortalidade nos países endêmicos, dentre esses, observa-se o Brasil. Uma das formas de transmissão da doença que é mais prevalente no território brasileiro é a vetorial (observada quando há presença de casa de taipa, principalmente) e a oral (onde o barbeiro é moído junto com a cana-de-açúcar ou açaí). Pelo grande acometimento desta patologia em regiões rurais, e por suas características socioeconômicas desfavoráveis, necessita de uma qualificada atenção primária dos serviços de saúde como a estratégia de saúde da família, que está como primeiro nível de atenção, devendo assim, mostrar sua grande importância na vigilância em saúde, com ações que promovam a redução de novos casos da doença1. Descrever o papel do enfermeiro a pacientes com doença de chagas. Trata-se de uma revisão de literatura realizada com intuito de fornecer uma fundamentação teórica. A busca foi realizada no banco de dados Scielo, Google Acadêmico e na Biblioteca Virtual em Saúde - BVS, mediante a utilização dos descritores “Doença de chagas” e “atenção primária”, priorizando artigos na íntegra dos últimos 05 anos e nos idiomas português, inglês. Observa-se uma alteração no panorama da doença de chagas, com uma notável redução das taxas de infecção ocorrida pela mudança de grande parte da sociedade em relação ao seu perfil social. Além disso, as pessoas tornaram-se mais esclarecidas a respeito da patologia e da importância da construção de casas de alvenaria, além de um maior cuidado em relação à redução do consumo de alimentos que são triturados e que, possivelmente, poderia ter algum triatomíneo no alimento, reforçando a importância da atenção primária nos processos de promoção e prevenção da saúde. Outro ponto importante é relacionado à vigilância em saúde, pois se sabe que sua relevância não está presente apenas no âmbito primário, mas em todos os estágios da saúde, identificando e divulgando quais são os pontos mais vulneráveis de proliferação da presença do barbeiro e os tipos de contaminação mais comuns, informações estas, que terão uma grande importância na atenção inicial no processo de promoção e prevenção. Com isso, percebe-se a importância da atenção primária no processo de promoção e prevenção da saúde, buscando desta forma contribuir para uma assistência qualificada ao indivíduo e a família/comunidade e assim, influenciar de maneira significativa a evitar novas contaminações. Nesse sentido, para que as taxas continuem decrescendo é necessária uma atenção à saúde contínua, promovendo ações de vigilância abrangentes, direcionando e fazendo convergir programas, esforços e recursos, objetivando a erradicação.

To compare the quality of life among elderly practitioners and non-practitioners of physical activity

Oliveira J.Q1; Gadelha J.H.T2; Menezes A.C.S3; Sá L.A4; Nascimento G.S5; Andrade J.M6
Physical activity practiced regularly provides health improvements, thus, the practitioner has a longer life expectancy avoiding occurring decline of physiological processes, maintaining an active and healthy lifestyle. To compare the quality of life among elderly practitioners and non-practitioners of physical activity. The study was conducted in the city of Iguatu - CE, with two groups of elderly, a group of 40 elderly women who practiced physical activity and another 40 elderly women who did not practice. It was shown significant differences in the environmental field [t (78) = - 5.57; p <0.01] physical [t (78) = - 7.78; p <0.01] and psychological [t (78) = - 7.03; p <0.01]. Thus, the social sector there was no significant difference. We conclude that the adoption of an active lifestyle and regular practice of physical activity are essential to good health and quality of life for the elderly, as this is linked also with a better functional capacity, mobility.

CARDIOPATIA CHAGÁSICA: UMA REVISÃO DA LITERATURA

Botelho A.G.S1; Santos A.M.S2, Freire D.A3, Brandão B.M.G.M4, Angelim R.C.M5, Abrão F.M.S6
A doença de Chagas possui duas fases: aguda e crônica. A fase aguda comumente manifesta-se como uma síndrome febril autolimitada, que dura de 2 a 8 semanas com manifestações clínicas em menos de 1 % dos pacientes1. Na fase crônica, aproximadamente metade desses pacientes permanece na forma indeterminada, que possui baixa morbidade e bom prognóstico, enquanto que a outra metade evolui para a forma crônica, com comprometimento cardíaco e/ou digestivo após 10 a 30 anos da infecção inicial. O envolvimento cardíaco é a manifestação mais frequente e grave da doença de Chagas. Após a infecção, a maioria dos indivíduos permanece sem manifestação da doença ao longo da vida, mas pelo menos 30% desenvolvem múltiplos distúrbios do ritmo cardíaco, sintomas graves de insuficiência cardíaca e fenômenos tromboembólicos2. Descrever as principais complicações cardíacas da doença de chagas. Trata-se de uma revisão de literatura realizada com propósito de fornecer uma fundamentação teórica para embasar a temática em questão. A busca foi realizada no banco de dados Scielo, Google Acadêmico e no portal da Biblioteca Virtual em Saúde - BVS, mediante a utilização dos descritores “cardiomiopatia chagásica” e “enfermagem”, priorizando artigos na íntegra dos últimos 05 anos e nos idiomas português, inglês e espanhol. A miocardite crônica predispõe à dilatação cardíaca e à formação de aneurismas ventriculares. Trombos são frequentes no aneurisma ventricular apical, característico da doença, sendo causa dos fenômenos tromboembólicos na circulação sistêmica e pulmonar. A fibrose miocárdica segmentar é o substrato anatômico para as arritmias ventriculares e distúrbios da condução atrioventricular e intraventricular. Extrassístoles ventriculares são muito comuns em pacientes com cardiopatia chagásica, e sua frequência e complexidade relacionam-se com a extensão do dano miocárdico, em particular com a disfunção e a dilatação do ventrículo esquerdo. A taquicardia ventricular sustentada é considerada a principal causa de morte súbita, podendo ocorrer em diferentes fases da doença e mesmo em pacientes sem disfunção ventricular importante. Sabe-se que pacientes que apresentam o eletrocardiograma normal possuem sobrevida semelhante à da população geral, assim como estudos iniciais demonstram que pacientes com que apresentam doença de chagas e com alteração segmentar com fração de ejeção do ventrículo esquerdo preservada possuem um pior prognóstico. Em meio a todas essas características apresentadas nessa patologia, a enfermagem vem com o objetivo de proporcionar um maior entendimento do paciente, explicando a respeito do seu diagnóstico, formas que melhorem sua qualidade de vida, esclarecendo a respeito de exames, mediações em uso. Proporcionando uma grande ajuda no tratamento que por atingir em geral uma população com menores condições econômicas e com baixa escolaridade, pode possuir uma maior dificuldade para entendimento das questões.

A LUDOTERAPIA COMO ESTRATÉGIA TERAPÊUTICA EM HOSPITAIS DE MACEIÓ: UM SOPRO DE VIDA

Vieira, D.M¹; Lima, J.M.A²; Santos, L.S³; Silva, M.R4
A hospitalização pode comprometer o desenvolvimento normal da criança, seja ele físico, emocional ou intelectual. Isto ocorre porque há uma ruptura na rotina habitual dela e um processo de adaptação à nova. Dentro desse aspecto, várias são as expressões do impacto dessa experiência no comportamento do paciente, que são representadas por sentimentos de medo, dor, angústia, tristeza, saudade, entre outros, e que podem desencadear sensações de insegurança e leva-lo a desenvolver atitudes agressivas. Entre as estratégias utilizadas para minimizar o enfrentamento do processo de hospitalização, encontra-se a ludoterapia, que por meio do brincar e da leitura, estimula as habilidades da criança e permite que ela exerça seu papel, mesmo dentro do hospital. Através dos palhaços doutores, a ludoterapia visa proporcionar melhor qualidade de vida para as crianças hospitalizadas assim como para seus acompanhantes e equipe hospitalar estabelecendo um vínculo mais afetivo entre eles, baseado no cuidado e em trocas prazerosas. Relatar a experiência de acadêmicos/alunos de graduação que compõem o projeto Sorriso de Plantão. Semanalmente, estudantes de graduação, mestrandos e doutorandos atuam como palhaços doutores em cinco hospitais da capital alagoana. Com base na teoria da ludoterapia, vão ao encontro das crianças hospitalizadas com brinquedos, desenhos para colorir e a arte do riso, com o intuito de melhorar a qualidade de vida delas e de seus familiares naquele ambiente. As visitas semanais dos universitários caracterizados como doutores palhaços proporcionam aos pacientes experiências infantis que não são comuns ao ambiente hospitalar. Os adereços, o nariz vermelho, os jalecos enfeitados, os brinquedos e os desenhos para colorir chamam a atenção das crianças e de sua família, fazendo com que o hospital torne-se um cenário em que há também a possibilidade delas serem o que realmente são, e não somente, mais um enfermo que precisa de cuidados médicos. Sabe-se da importância do brincar para a criança, para seu desenvolvimento e para a criação de vínculos. Sendo assim é de suma importância que o palhaço doutor estimule a criatividade, a iniciativa, e a autoconfiança, através de jogos e brincadeiras que sejam educativos e que proporcionem bem-estar, respeitando seus limites e fazendo com que ela se desligue de sua condição durante aquele período. A interação torna-se uma estratégia terapêutica eficaz na minimização dos efeitos da internação, possibilitando assim uma melhor qualidade de vida e diminuição do estresse causado pela permanência no hospital, tanto para a criança quanto para seu acompanhante.

DOENÇA DE CHAGAS E SUA INFLUÊNCIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA

Botelho, A.G.S1; Santos, A.M.S2, Freire, D.A3, Brandão, B.M.G.M4, Angelim, R.C.M5, Abrão, F.M.S6
A doença de chagas é uma infecção provocada pelo Trypanosoma Cruzi. Ela é considerada uma doença negligenciada acometendo, principalmente, as populações com baixas condições socioeconômicas. Apresenta-se com uma alta taxa de morbimortalidade nos países endêmicos, dentre esses, observa-se o Brasil. Uma das formas de transmissão da doença que é mais prevalente no território brasileiro é a vetorial (observada quando há presença de casa de taipa, principalmente) e a oral (onde o barbeiro é moído junto com a cana-de-açúcar ou açaí). Pelo grande acometimento desta patologia em regiões rurais, e por suas características socioeconômicas desfavoráveis, necessita de uma qualificada atenção primária dos serviços de saúde como a estratégia de saúde da família, que está como primeiro nível de atenção, devendo assim, mostrar sua grande importância na vigilância em saúde, com ações que promovam a redução de novos casos da doença1. Descrever o papel do enfermeiro a pacientes com doença de chagas. Trata-se de uma revisão de literatura realizada com intuito de fornecer uma fundamentação teórica. A busca foi realizada no banco de dados Scielo, Google Acadêmico e na Biblioteca Virtual em Saúde - BVS, mediante a utilização dos descritores “Doença de chagas” e “atenção primária”, priorizando artigos na íntegra dos últimos 05 anos e nos idiomas português, inglês. Observa-se uma alteração no panorama da doença de chagas, com uma notável redução das taxas de infecção ocorrida pela mudança de grande parte da sociedade em relação ao seu perfil social. Além disso, as pessoas tornaram-se mais esclarecidas a respeito da patologia e da importância da construção de casas de alvenaria, além de um maior cuidado em relação à redução do consumo de alimentos que são triturados e que, possivelmente, poderia ter algum triatomíneo no alimento, reforçando a importância da atenção primária nos processos de promoção e prevenção da saúde. Outro ponto importante é relacionado à vigilância em saúde, pois se sabe que sua relevância não está presente apenas no âmbito primário, mas em todos os estágios da saúde, identificando e divulgando quais são os pontos mais vulneráveis de proliferação da presença do barbeiro e os tipos de contaminação mais comuns, informações estas, que terão uma grande importância na atenção inicial no processo de promoção e prevenção. Com isso, percebe-se a importância da atenção primária no processo de promoção e prevenção da saúde, buscando desta forma contribuir para uma assistência qualificada ao indivíduo e a família/comunidade e assim, influenciar de maneira significativa a evitar novas contaminações. Nesse sentido, para que as taxas continuem decrescendo é necessária uma atenção à saúde contínua, promovendo ações de vigilância abrangentes, direcionando e fazendo convergir programas, esforços e recursos, objetivando a erradicação.