International Journal of Food and Agriculture

Open Access Journal
American Journal of Medicine and Health (ISSN:2641-3280) is an open access journal publishing research articles, review articles, editorials and letters to the editor.

Peer-Review Journal
To keep the quality of journal, all submission will be peer-reviewed by invited experts. The decisions will be made according to the comments of reviewers.

Publication Process
Initial decision: 3 days without review, 28 days with review; Time to publication: Accepted articles will be online in 3 days; Final versions after proofreading will be accessible in 8 days.

Rapid Response
Should you have any questions, please let us know. We will answer you shortly.

SITUAÇÃO SOCIODEMOGRÁFICA E EPIDEMIOLÓGICA DA Leishmaniose tegumentar americana EM VITÓRIA DE SANTO ANTÃO – PE, NO PERÍODO DE 2007 A 2015

Alves R. S. M.1; Barros J. M. S. 1; Silva A. S. 2, Santos J. S. 2, Oliveira M. J. F.3, Leite A. F. B. 2,4
A hanseníase é uma doença milenar, infectocontagiosa, crônica, que possui como agente etiológico a Mycobacterium leprae. A transmissão ocorre de maneira direta através da eliminação de bacilos pelas vias aéreas superiores, o que requer um contato íntimo, contínuo e prolongado. O diagnóstico da hanseníase é fundamentalmente clínico/epidemiológico e o tratamento é medicamentoso, realizado a partir da associação de medicações conhecida por Poliquimioterapia (PQT). A doença se apresenta como problema de saúde pública, o que alerta quanto a necessidade de ações mais eficientes e eficazes no combate à doença. Descrever a situação sociodemográficas e epidemiológicas da hanseníase no município de Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Brasil. Estudo transversal, realizado em Vitória de Santo Antão, no período de 2005 a 2015, a base de dados secundária utilizada foi do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) da Vigilância Epidemiológica, da Secretaria Municipal de Saúde do município. Para análise, foram utilizadas as variáveis da ficha de notificação/ investigação de hanseníase, referentes a: sexo, idade, raça/cor, escolaridade, zona de residência, forma clínica, classificação operacional, número de nervos afetados, avaliação de grau de incapacidade, dados laboratoriais e esquema terapêutico inicial. Anuência para análise dos dados e produção das informações foi autorizada pelo órgão de acordo com as normas de segurança administrativas. Foram registradas 394 notificações, sendo 51 % do sexo feminino, 34 % de raça branca, entre a faixa etária dos 20 a 59 anos (66,24 %), houve 33 (8,37 %) notificações em menores de 15 anos. Quanto a escolaridade 56 % dos casos são do ensino fundamental e 83,5 % são residentes da zona urbana. A forma clínica prevalente foi a tuberculóide (32,48 %), com a classe paucibacilar (PB) apresentando-se em 50,5 % dos casos, e 84 % das notificações não possuem nervos afetados no momento do diagnóstico. Quanto ao Grau de incapacidade, 68,78 % manifestam “Grau 0” de comprometimento. Quanto aos dados laboratoriais, não foram realizados baciloscopia durante o período de estudo. O esquema terapêutico inicial mais prevalente foi o de PQT/PB de seis doses utilizada em 51 % dos casos. Percebe-se que o município apresenta os indicadores semelhantes com a situação do estado de Pernambuco, principalmente quando a hanseníase atinge a população economicamente ativa, com baixo nível de escolaridade e apresenta casos em menores de 15 anos, o que mostra a presença de focos de transmissão ativos. É imprescindível destacar os dados referentes a baciloscopia, já que esse exame, segundo estudos, tem adquirido maior importância quando existe casos de persistência bacilar, falha terapêutica e ou tratamento insuficiente. Portanto, é necessário a realização de busca ativa de casos, campanhas de educação em saúde com a população e educação continuada com os profissionais de saúde, a fim de realizar o diagnóstico precoce e a prevenção de incapacidades da doença.

SITUAÇÃO SOCIODEMOGRÁFICA E EPIDEMIOLÓGICA DA Leishmaniose tegumentar americana EM VITÓRIA DE SANTO ANTÃO – PE, NO PERÍODO DE 2007 A 2015

Barros J.M.S1; Alves R.S.M1, Silva A.S2, Santos J.S2, Oliveira M.J.F3, Leite A.F.B2,4
A Leishmaniose tegumentar americana (LTA), é uma doença infecciosa, não contagiosa, causada por protozoários do gênero Leishmania sp, que acomete o homem secundariamente. A mesma manifesta-se na pele e mucosas. Infecções por esse agente que originam a LTA foram descritas em várias espécies de animais silvestres, sinantrópicos e domésticos. A transmissão se dá por meio da picada de insetos, os flebotomíneos de fêmeas infectadas. Possui um período de incubação em média de 2 meses em seres humanos. Caracteriza-se pela manifestação de úlceras cutâneas única ou múltipla, como principal complicação, tem comprometimento das mucosas da nasofaringe com destruição desses tecidos. O diagnóstico se dá através de exames laboratoriais e ou características clinicas e epidemiológicas. A droga mais indicada para o tratamento é o Antimonial Pentavalente. A LTA, é considerada pela Organização Mundial da Saúde uma das cinco doenças infecto-parasitárias de maior relevância, possui grande capacidade de produzir deformidades e um grande potencial epidêmico. No Brasil, é importante destacar, sua grande distribuição territorial. Descrever a situação sociodemográfico e epidemiológico da Leishmaniose Tegumentar Americana no Município de Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Brasil. Realizado um Estudo Transversal, considerando as características da população e os padrões de distribuição da LTA no município. Utilizado base de dados secundária, o Sistema de Informação de Agravo de Notificação (Sinan) da Vigilância Epidemiológica do município de Vitória de Santo Antão, com período de análise de 2007 a 2015. As variáveis utilizadas para o levantamento do mesmo foram: Idade, sexo, raça, escolaridade, zona, bairro, ocupação, evolução do caso, lesão, exames, droga inicial administrada e local provável de fonte de infecção. Anuência para análise dos dados e produção das informações foi autorizada pelo órgão de acordo com as normas de segurança administrativas. No período estudado, continha 326 registros de casos de LTA. Observou-se o maior pico de incidência no ano de 2009 com 0,6 casos por mil habitantes, (91,4 %) foram casos autóctones. A distribuição de casos no munícipio concentra-se predominantemente na Zona Rural com (81,3 %) dos casos em trabalhadores com as seguintes ocupações: trabalhadores volantes da agricultura (44 %), Estudantes (25 %) e trabalhador agropecuário em geral (10,3 %). Dentre todos, 67,2 % foram do sexo masculino. A faixa etária predominante é 20-29 anos. A forma Clínica predominante foi a cutânea (97,3 %) e o antimonial pentavalente foi a droga mais utilizada (84,8 %), obtiveram cura (91,1 %) dos casos. Os dados apresentados demonstram a LTA afetando predominantemente homens moradores da Zona Rural em atividades laborais voltadas para o campo o que evidencia traços já percebidos em estudos da relação da LTA com intervenções antrópicas no campo, como o desmatamento e a malha urbana ampliando-se. Contudo também há uma grande representatividade de estudantes atingidos, o que demonstra um risco de transmissão peridomiciliar.
Loading...

SOROPREVALÊNCIA PARA TOXOPLASMOSE CONGÊNITA EM GESTANTES ATENDIDAS EM MATERNIDADE DE CAMPINA GRANDE – PB

Alves T. W. B. 1, Ferreira J. V. 2, Barbosa V. S. A.3
O Toxoplasma gondii é o agente etiológico da toxoplasmose, uma zoonose de caráter mundial. Afeta uma infinidade de espécies, sendo os gatos hospedeiros definitivos e o homem intermediário. A toxoplasmose pode ser adquirida através da ingestão de oocistos, que são eliminados nas fezes dos felinos, ingestão de carne crua ou mal passada infectada com bradizoítos e por meio da via transplacentária, principalmente de mães com infecção aguda. A transmissão congênita pode resultar em aborto ou má formações fetais e a idade gestacional da infecção materna tem papel fundamental no quadro clínico apresentado pela criança. A prevenção da infecção congênita é realizada a partir de exames imunológicos, com a pesquisa de anticorpos do tipo IgG e IgM antiToxoplasma no soro da mãe. Avaliar o perfil sorológico para toxoplasmose nas gestantes que realizaram o acompanhamento pré-natal entre março e abril de 2016, no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA) em Campina Grande – PB. Foi realizado um estudo epidemiológico transversal com 184 gestantes, onde foram coletados os resultados dos exames sorológicos para a toxoplasmose, realizados ao longo do pré-natal, no cartão das gestantes. Foram consideradas como soropositivas gestantes que apresentaram anticorpos IgG reagente (IgG (+)), acompanhadas ou não de IgM reagente (IgM(+)) e suscetíveis aquelas com IgG não reagente (IgG (-)) e IgM não reagente (IgM (-))Das 184 gestantes que realizavam o pré-natal de alto risco no ISEA no período, 45 (24,5 %) ainda não haviam realizado a sorologia para toxoplasmose. A prevalência de soropositividade para anticorpos IgG antiToxoplasma entre as gestantes estudadas (139) foi de 20,9 %. Neste estudo não se observou a presença de gestantes com IgM anti-Toxoplasma (IgM (+)) acompanhado ou não de IgG anti-Toxoplasma reagente em 110 gestantes, o que representou uma prevalência equivalente a 79,1 % de gestantes susceptíveis a infecção por T. gondii. A elevada proporção de mulheres suscetíveis à infecção por T. gondii, bem como o elevado percentual de gestantes que não tinham realizado os exames sorológicos, ressalta a importância em se ofertar orientações higiênico-dietéticas para o grupo e de se fazer o acompanhamento sorológico destas gestantes a cada três meses.

To describe the use of protein supplementation in critically ill patients in Enteral Nutrition Therapy

Barroso F. N. L. 1, Avelino A. B. R. 2; Paiva G. T. 3; Oliveira M. R. D. A.4; Andrade L. M. 5; Silva A. C. L. P.6
Critical illness is associated with a state of catabolic stress where it is common to observe nutritional depletion since there is an increase in energy expenditure and protein catabolism¹². This it is necessary to ensure adequate nutritional intake, is unique by enteral formulations, or the modules increase. To describe the use of protein supplementation in critically ill patients in Enteral Nutrition Therapy. Cross-sectional descriptive study with a quantitative approach carried out between January and February 2016. The collection was in enteral nutrition department of University Hospital Onofre Lopes in Natal / RN, included data from protein supplementation requirements in critically ill patients fed via enteral. Data were tabulated using descriptive statistics in Microsoft Office Excel® 2010. Analyzed the nutritional requirements of 156 hospitalized critically ill patients. Of these, 10.8 % (17) had to be supplemented with protein modules. Averaging 11, 7 g of protein per patient, an average of 4.7 days. The prevalent reason for the suspension of supplementation was the presence of episodes of diarrhea 29.4 % (5), followed by discharge from the Intensive Care Unit, 23.5 % (4). Some patients even using enteral nutritional support received protein supplementation to meet their protein nutritional needs.
Loading...